segunda-feira, 23 de junho de 2008

Abelhas


As luzes dissonantes dessa cidade,
Cegam as estrelas que, inúteis, continuam a brilhar.
Aquecem os homens de caráter,
Para que o frio possa os desviar.

Talvez eu, gauche que sou, não devesse falar...
Mas esses desejos flutuando são só espectros.
De vidas medíocres e tarefas inacabadas.
Talvez eu fosse homem suficiente para ignorar.

Paredes de concreto frio estão em movimento.
Desenham-se "A ascensão da sub-vida decadente"
Para aqueles que são trapos, remendos, ou nada...
Serem enganados pela esperança e seguirem em frente.

Mas nada é mais belo que a marcha dos rotos.
os zumbis que seguem o próprio cheiro de morte.
Que de frases feitas criam ideologias belas e ignorantes.
E, alegremente, seguem a luz das estrelas à própria sorte.

MAS AS PAREDES RESPIRAM!!!!!
E os desejos as alimentam.
Para que os homens de caráter,
Decidam de vez se desviar.

Amor, você não consegue ouvir????
É tudo música...
Nada original, mas bastam os tambores...
Você sabe, manter o ritmo..

tic-tac - pé no chão.
tic-tac - Sobrevivência.
tic-tac - Construir sabedoria ignorante..
tic-tac - Sobreviver.
tic-tac - Levantar marretas.
tic-tac - Sobrevida.
tic-tac - Desejos íntimos.
tic-tac - Lençóis e sonhos.
tic-tac - Pés no chão.

A vida seria perfeita, não fosse a ilusão...
Entretanto condicionar sorrisos falsos é o melhor caminho,
Para conseguir belos sorrisos falsos condicionados.
e... tic-tac... Amar e ser amado...

Mas para que vou me importar se o mundo é cíclico.
Amanhã isso não importa mais.
Porque a praga vai tomar forma e matar lentamente.
A bela face do NUNCA MAIS.

Bem que me falaram que tudo teria que ser nada,
Para poder ser algo consistente
E ao mesmo tempo intocável...
E nos mostrar que todos, ao mesmo tempo, somos e não somos nada.

"O legal da poesia... é que ninguém vai se dar o trabalho de tentar entender. Se entender, vai enlouquecer ou se deprimir. A realidade é uma abelha, basta a você saber que ela inconscientemente transforma pólen em mel..."

(Vamos celebrar a estupidez humana
Vamos celebrar a estupidez do povo
As crianças mortas
De tudo isso - com festa, velório e caixão
Está tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou esta canção.)
Renato Russo

sábado, 21 de junho de 2008

O último amanhecer...


Distante...
Como palavras sem nexo...
A voz que se cala é a voz que chora...
Distante...
Como vozes em coro cantando a luz do sol...
Morto... Porém belo...
Eis que essa beleza é a alma do que parte...
Que da luz cria as sombras que dançam...
O que é o tempo que se perde?

Distante...
Talvez inatingível...
É o véu da vida que se Esvai...
Mas enquanto morre-se por dentro...
Brilha algum sol...

"E a tempestade que passa... Deixa sobre a terra um belo amanhecer... Quisera eu sonhar mil vezes com as mesmas gotas de água e a grama molhada... E com os rios que transbordam lentamente seu conteúdo puro. Pois ali existe paz..."

Todos morreram...
Ninguem esperou a eternidade...
Ninguem virou a mesa e disse que estava tudo errado...
So se deixaram morrer...
Porque a tempestade parecia não acabar...
e não acabaria...
Se não fosse a coragem de continuar..
E Enfrentar o vento...
o frio...
A solidão...
O medo...
Que coexistiam em perfeita desarmonia...

"Essa manhã me trouxe paz... Me trouxe vida... Me trouxe outro dia... Outras palavras... Talvez um mundo tão singelo quanto belo... Talvez apenas mais um dia..."

Apenas mais um dia para viver...
Apenas mais um sonho pra inventar...
E Acordar...
Porque no fim...
Tudo é apenas fruto de um nada maior
Que nos motiva a preencher cada minuto com os mais belos momentos
Ou nos motiva a sermos vazios e sóbrios,
Ou simplesmente preocupados...
Tristes...

______________

Ninguém vive por convenção...
Ninguém ama por convenção
Ninguem luta por convenção
Apenas se deixa levar...
E quando acorda...
Intrínsecamente se vê perdido...
Sem rumo...

Porque aquilo que nomeamos se torna nosso
Aquilo que amamos são meras representações...
Quadros de inúmeras imagens de momentos bons..

E quando essas imagens parecem distantes.
se vê perdido como um pássaro no oceano...
e tende a desistir e se afundar no oceano
Não vê saídas..
Não vive

E por convenção nao muda...
Fica esperando que a vida traga mudanças..
Não enfrenta a vida...

O amanhecer... é a representação viva da mudança
Acordar... É fechar os olhos e sonhar acordado
Sonhar com o mundo real e faze-lo aconchegante.
Amanhecer é dissipar as tempestades...

Tempestades essas... Que tendem a vir mais freqüentes e poderosas
Esses são os caminhos da vida...
Dolorosos... Porém sábios...

Porque caminhos sem pedras, não são caminhos...
são atalhos tortuosos e malditos.
Que dão a falsa impressão de que há segurança;

"E a história aqui termina... como um fogo que se extingue... Mas ela se repete, a cada passo dado... A cada novo segundo de existência, segue uma crescente incerteza... e ela nos motiva a querer entender cada vez mais isso que chamamos de vida, que eu preferia chamar de maldição, Pois eu não tinha aprendido a viver..."

Tempestade Final - ReAscenção do Alquimista da Tempestade... Fraco, Destroçado, Mas vivo como Nunca...


Mãe, me leve. Dessa noite eu trago tanto medo... Mão, por favor me leve... Me Desculpe, seu garoto não eh bravo...

"Ninguém dá valor a vã poesia... que morra com as mãos que a escrevem..."

A verdade... é que eu nunca acreditei que tudo ia chegar a esse ponto. Mas... eu não aguento mais o peso das trevas... Eu não aguento mais escrever o fim do mundo... por que o fim do mundo me vem cíclico como as estações... E cada vez o corte que nasceu se alastra... como colocar no papel algo tão brutal sem acabar se tornando justamente aquilo que se escreve???? Pra nos momentos de alegria sentir calor no coração, simplesmente por estar tão distante desse mundo frio e maldito que no passado escrevi????... Por que infernos não dar um pouco de valor nas pequenas coisas que significam tanto e que passam desapercebidas nos momentos de dúvidas, de sofrimento e desamor... Porque me atirar a essas trevas em busca de novas idéias, de consolo, ou até mesmo de mais dor.
Céus eu apostei tanto no fim disso tudo, jurei aos céus nunca mais derramar uma lágrima sequer... E menti a todos que nunca havia chorado, por modismo, ou comodidade, ou pra me mostrar forte.
Que diabos de força é essa, que poesia maldita é essa que me trás a tona tudo de ruim que eu posso ter...

Que se dane a poesia...

A alegria, o sofrimento, o amor e a paz de espírito transcendem palavras.. Céus, como não conseguir entender o quão é idiota pintar meu mundo de negro esperando descobrir tesouros e alegrias ocultas???? Como diferenciar o certo do errado e mandar essa horda de pensamentos malignos ao inferno e uma vez na vida, olhar pra frente e gritar eu sou feliz, porra!!!!

O meu tempo curto nesse início de ano me fez abandonar milhares de coisas que eu amava... simplesmente por inanição, ou por achar que nada iria desaparecer... Mas a idéia de que estava tudo nos mais perfeitos acordes acabou por cegar mais ainda meu modo de agir e pensar... e Agora.. Que se foda a vida que vou deixar pra trás... quero reconquistar lentamente o Alquimista da Tempestade.. Alguém que criei para personificar a Torrente de felicidade que me banhou ano passado. A torrente maravilhosa e aconchegante de dias realmente incríveis... Qual é o valor deles??? uma mera imagem no passado????

Como disse o sábio Kreps, que também passa por um momento de reflexão, mas que sabiamente levantou a cabeça ao sofrimento e mandou ele se fuder:

"CONTUDO, para quem gosta de sofrer, e falar mal da vida, tem que admitir...pelo menos, por alguns minutos, todo dia, vc tem que rir, sorrir (mesmo que sarcásticamente), e se divertir com alguma coisa. E às vezes, pequenas coisas, que deixaram um belo sorriso estampado na sua cara, podem fazer seu dia feliz, ou até mesmo o de outras pessoas.
Por exemplo, coisas pitorescas que só acontecem comigo, eu me divirto com elas a beça, ao invés de ficar pensando nos erros do passado e em como eu poderia não tê-los cometido, ou como não errar no futuro ou ainda, asiosamente pensando em cada minuto do futuro, como agir, para não me dar mal comparando com o passado. Tudo isso causa aflição, sofrimento. Sofrer psicológicamente é muito ruim, dolorido.
BOM é viver cada momento maravilhosamente como se fosse o único. Não esquente com seus problemas. Como dizia Yoh Asakura, protagonista do anime Shaman King, "pra tudo se dá um jeito!"-"

Fraco, Destroçado, Mas mais vivo do que nunca...

A Tempestade Vai Voltar... Que a Fênix renasça..

quarta-feira, 11 de junho de 2008

O Anoitecer... ( Amanhecer pt. 3)


Como é belo o som desse luar....
As vozes indistinguíveis...
Os sonhos que flutuam...
Como flechas, perfuram o silêncio.

"Então eu acordei... Devo ter adormecido sobre a sombra Desse lugar, aonde eu acostumei a me sentar e sonhar como uma criança... Aonde meus sonhos estranhos tentavam inutilmente me matar..."

Como é bela a ausência da certeza...
Que no véu da noite a lua emoldura...
toda história bela...
é feita de reticências...

"A relva cresceu... quanto tempo se passou? Não importa, há um longo caminho a ser percorrido. Belo caminho..."

com o beijo da brisa anuncia-se o silêncio...
E a paz maior... que a floresta mantem.
Mas as reticências começam a se fragmentar...
E enfim, com medo... DESPERTO.

"Eis que de sonho a beleza se mantem, sem sonho... a criança em mim, se torna tão velha quanto o sol poente... de que vale a noite, se não existe o repouso?."

Não pedi para que se iluminasse a escuridão...
Que é a sabedoria humana senão mero prazer?
Qual é a beleza da vida se pra tudo existe resposta?
Não...
Posso ser o homem mais estranho do mundo...
Mas prefiro o véu da ignorância,
Do que a triste estrela da certeza...
Quem sou sem a ignorante certeza de que há algo de sublime em cada natureza...
Algo de belo, para poder contemplar cheio de dúvidas...
Como posso sonhar com amor...
se o amor é só parte de um processo...
Como posso aceitar ser chamado de cego,
Quando eu enxergo na verdade uma bomba armada...
De um mundo futuro...
Sem o sublime medo da noite...

"Sonho com dias maravilhosos que nunca viverei... Desenho nas nuvens formas que nunca tocarei... Sob o seio daqueles que amei... que nunca conhecerei... Sonho com a música da vida, que permanece. Sonho..."

Desenho nas nuvens...
Desenho o amor...
Mas ele não existe...
Desenho a alegria...
Mas ela não existe...
Desenho o carinho...
Mas ele não existe
Desenho o passado...
Mas ele não existe.

"Lembranças do futuro... O sonhador do passado... Não vive mais... Mas o tempo insiste em tornar real cada passo em falso, cada segundo de alegria, vale anos de sofrimento... O tempo só cura feridas que nunca existiram..."

Meia-noite...
Não mais batalhas a se enfrentar...
Não mais calor...
Hora de repousar...
Como é belo o som do adormecer...
Finalmente me devora...
Enquanto eu tento não sonhar...
Para que meus criadores possam me provar...
que sonhar foi em vão...
Que cada passo alegre era um arranjo maldito
Para a mais bela queda...
Para o mais profundo mergulho..
Para a luz mais escura...
Para meu lar
Meu desespero...
Meu mundo...
Meu amor...
Inventados para serem eternos...

"Eu apenas segui meus sonhos, e encontrei meu caminho para casa, deixando esta vida, como uma pintura no oceano, tudo que eu queria deste lugar... Era poder amar cada segundo... Cada ínfimo movimento das árvores, cada som de tranquilidade e paz... E eu encontrei no amanhecer... Um caminho de volta para casa..."

domingo, 8 de junho de 2008

O Amanhecer pt. 2



Acorde Criança...
o dia amanheceu...
Era justo o que você queria.

Se desfez a ilusão?

"Acorde Criança...
Pouco tempo resta...
O amanhecer não te alegra?
o dia está tão belo...
Tantos passaros cantam...
Acorde meu filho,
sua mãe está aqui do seu lado...
O meu coração está tão alegre...
O céu está tão azul...
As flores estão tão bonitas...
Venha ver meu filho
Acorde...
Não se permita partir assim...
Acorde, meu pequeno anjo
Meu filho...
Meu filho...
Não consegues, ouvir esse som...
Como eh belo...
Meu único filho, respire esse ar...
Não me deixe aqui
Acorde, meu filhinho... papai virá logo...
Não se deixe partir..."

"Mãe, por favor, me leve com você...
Seu garoto está com tanto medo...
Mãe, me leve...
me desculpe, seu garoto não é bravo..."

- Poderia morrer aqui... Mas temo que estou alegre demais pra isso.
- A luz do sol não eh mesmo bela???...
- ah Mãe... Mãe... Prometa que nunca vai me deixar
- ... Pequeno... Tudo tem um Fim...
- Me prometa ser eterna... Por Favor
- Não deves chorar minha partida, filho.. sabes que é inevitável...
- Mas eu amo você demais... Isso não é o suficiente pra te manter aqui???...
- ...
- Mamãe, porque você tem que ir???


Chorando com você, braços dados...
Flutuando com você...
Afundando com você... Nesse oceano...
Sagrado e Caído...

"Onde está você, mamãe
É triste que, em nossa cegueira,
nós trocamos flores por espinhos
Faz tão frio Aqui...
Eu nunca te ouvi..
Pra onde você foi, oh minha mãezinha...
Por favor pegue minha mão..."

(Há um sentimento de nostalgia em mim...
Enquanto leio as cartas de minha mãe...
Suas palavras honestas, não puderam esconder
Ela estava perdida... no isolamento...
Ela falou de seu amor...
Enquanto eu lia
"Vou Morrer sozinha"
Eu sabia que ela iria realmente partir...)

"meu filho...
Eu apenas vivo por você.
Eu estarei aqui, só por você...
Todos os anjos estão envergonhados,
Não se preocupe com o hoje
Esqueça o passado...
Papai se foi, mamãe está com você.
Deite comigo, querido...
Estou aqui com você..
Durma meu filho..."

(Não se esqueça de mim, meu filho)

"Mamãe, acorde....
O dia está maravilhoso... Venha ver
Mamãe... Voce nao se cobriu,
está tão fria...
mamãe?
Me responde meu anjo...
Me responde...
O que aconteceu..
MAMÃE????"

(Puro de Coração...)

"Mãe, não acredito mais...
Uma flor para se observar...
Para mim é a morte...
Não acredito na eternidade
Não acredito na beleza do amanhecer...
Nem no canto dos pássaros
Eles voam com o vento
Mas eu vou continuar..
Vou te seguir..."


Criança, o que fizeste???
O espinho em seu coração
É veneno aonde o amor crescia
É frio e cruel...

Em vôo furioso,
Ele deixou o chão


"Mae, não se entristeça.
sou um anjo, posso voar.
Estou ao teu lado...
Não desista de caminhar...
Jovem eu era...
sou um anjo... posso voar...
A escuridão veio, mas
Eu aprendi a amar...
Esta tudo bem agora...
A minha doença foi não sonhar
Posso te tocar agora
Sou um anjo... posso voar..."

sábado, 7 de junho de 2008

Lúxuria


E a inocência partiu, e deixou em seu lugar o sentimento dos cheiros, toques e desejos malditos... Desejos que rasgam a alma e impelem ao delírio... Delírio... A pele macia distorcida envolve o que resta dos sentidos e cega a aparente tranquilidade que envolvia o olhar... Então destrói-se completamente e irrompe em uma torrente frenética de sabores indistinguíveis... MAravilhoso delírio das trevas por trás das velas preciosas derretidas pelo calor infernal... Progressivamente se transorma em desespero, ondas e movimentos do mar em fúria em crescente tempestade, e como um trovão que perfura o negro do céu em chamas, Tao efêmero quanto a vida, num grito de loucura, se evanesce do tempo e faz-se eterno quanto um segundo...

E então reina o silêncio...

Dissolve-se em harmonia divina,e recria-se num átimo... Desenha-se então entre os corpos uma linha tênue que divide ou une o amor e o desejo... do desejo se cria a saciedade... do amor se cria o cativeiro, e do desejo e do amor, se cria o paraíso, para o qual a morte, o desespero e a embriaguez, são apenas símbolos de suas respirações lentas e cativas...

Despede-se num sono profundo... Morto para poder acordar... Cego, para poder enxergar... A verdade por detrás dos espinhos de um rosa... aonde se escondem suas pétalas... A insanidade... O silêncio...

 
© Direitos e Esquerdos Reservados à Renato Snowareski Gomes