domingo, 3 de maio de 2009

A TEMPESTADE - O livro dos homens

"Sinta o frio, delicado frio,
Por que não há medo algum,
Sinta o complicado e delicioso
Sabor desse instante perfeito"

Distante da sensação da existência
Meu refúgio in silêncio,
Se tornou minha alma
Minha casa, seu lar gelado...

E se eu pudesse te aquecer?
Você se deixaria tocar,

Sente o beijo do vento em teu rosto?
que sou eu dentre a floresta a correr
implorando-te um instante em seus olhos
Para que eu possa me guardar dentro de você
Seu coração quente e pulsante,
Que me negou a vida uma vez,
Mas que queima a todo instante
Rosa na tempestade.

1 comentários:

luci disse...

adoreiiiiiiii perfeito.... envolvente... as entrelinhas falam muito renato/! adoro o subjetivo e vc é ótimo!!!! adorei o textooo

 
© Direitos e Esquerdos Reservados à Renato Snowareski Gomes