sexta-feira, 10 de fevereiro de 2006

Nuvens Negras encobrem-me


Uma poesia, cheia de significados, porém... vazia.

Existiam campos floridos...
Rosas exibiam sua beleza,
A dor e o tempo nao eram sentidos,
Presos por um rio de pureza.

Haviam cores, histórias perdidas,
Tudo era motivo pra sorrir.
Minhas ilusões eram tão vívidas.
Que estranhei, de repente, cair.

e cai...

As rosas tornaram-se negras.
O tempo aumentou minha dor
A pureza tornou-se duras pedras.
Pedras que um dia foram amor.

Ilusões, meus sonhos despidos
Sempre a acreditar no impossível,
Meus caminhos estarão sempre retidos,
Perdidos em doces sonhos terríveis.

Horas pensando tempo perdido,
minha terrível sina se confirma
Como um golpe contra mim desferido, minmha fraqueza agora se afirma.

Com o mais amargo fel,
é proferida a mais terrível sentença,
Mas minha alma dolorida sem pre insiste,
Que talvez um dia eu vença.

Fui completamente enganado,
Pelos ambiciosos olhos da paixão.
Agora estou mudado,
Minha vida é uma ilusão...

Porque nunca fui amado?
O que fiz de tão errado?

Enfim...

Descobri que a realidade me odeia.
Ninguém sequer atenção me deu.
Passaram por mim como fantasmas,
O meu amor, ja ferido, entao... morreu

2 comentários:

Deborah disse...

olá!
estranhamente vc escreve bem parecido comigo...
embora o q escrevo não seja tão longo.
A poesia q vc leu é minha, porém quem escolheu pra postar foi a Jéssica. Eu particularmente prefiro guardar o q sinto, não costumo mostrar o q escrevo.
Gostei d tc com vc hje
Bjos e ate +

Jeni disse...

Nossa!
Que lindo este texto!
Vc diz que sua poesia é vazia pq ninguém fazia questão de saber dos teus sentimentos?
Tudo que vc descreve em teu poema aconteceu de verdade?? Talvez não queiras dizer-me e eu respeito, e acho interessante eu descobrir sozinha,sei que os próximos textos enviarão os sinais hehehe.
Bjinhus!

 
© Direitos e Esquerdos Reservados à Renato Snowareski Gomes