quinta-feira, 29 de maio de 2008

Desgraça...


Para aonde foram os sentimentos? Porque os sorrisos cessaram?
Desgraçado ódio que me faz contorcer... Odio da vida, que me perdoe Deus...
Ou será que devo odiá-lo? Por me entregar as malditas chaves do paraiso, para simplesmente me jogar de lá e rir-se da minha desgraça... Um a um os sonhos se desfazem... MALDITOS SONHOS!!!! Que eu odeio, Odeio por ser obrigado a me render a poesia. Essa Vã, supérflua e amaldiçoada poesia.
Desgraçados os homens, que pouco a pouco cegam meu coração... Desgraçado Coração, que se perdeu da vida sem medir consequências...
Silêncio...
Só resta o silencio...
Sem mais palavras doces...
Eu estive tão longe... CEGO


I wish i could come back home...
i swear i never would leave you...
And that what shall i do...
You swear that too.
Sometimes i keep myself thinking
Why you never killed me off this false reality...
Far from you, my everything...
but if it cannot bring you back...
it cant matter...
Cause i Never Knew, Now i Know...
You came to stay or make me go...
I never knew how idiot could i be...
I never knew...
Discover this is like kissing hell...
but left a stain...
something like, by your feet, asking forgiveness...
Like no one is this whole world....
You was and still, the most beautiful dream i ever lived...
Cause Dreams is for the fools..
And I Lost my Reality...

Where lives the only thing that really matters in this world...
YOU...

 
© Direitos e Esquerdos Reservados à Renato Snowareski Gomes